A nova tomada ou porque o Brasil é incompatível com a humanidade...

o Brasil é incompatível com a humanidade...O Zeronauta pode não estar sabendo, mas o Brasil vai mudar de tomada. O plano da ABNT e do Inmetro (órgão federal responsável pelo controle de qualidade industrial) é substituir todos os terminais elétricos vendidos no país até julho de 2011. O fato poderia ser banal, mas ele revela muito sobre a mentalidade brasileira.

Os plugues e tomadas de todo o país começam a mudar a partir de 1º de agosto. Até janeiro de 2010, os fabricantes precisam se adequar aos novos padrões, mas o povinho brasileiro - sempre tão pacífico e cordato - não precisa ter pressa para fazer as mudanças dentro de casa. A completa adaptação das residências ao novo padrão elétrico deve demorar até duas décadas.

Agora a tomada terá um baixo relevo de 8 a 12 milímetros, em formato de hexágono, onde será encaixado o plugue. Os técnicos acreditam que isto evitará o contato dos consumidores com o pino. Nota da ZeroZen: se você é idiota ao ponto de enviar o seu dedo na corrente elétrica junto com o pino então tem mais é que levar choque. Não há dispositivo de segurança à prova de idiotas...

O fato de os plugues precisarem ter o formato hexagonal para encaixarem nas novas tomadas causou um grande problema. Por causa disso, os fabricantes deixam de produzir os antigos plugues. As tomadas encontradas hoje no mercado deixam de ser fabricadas a partir de janeiro de 2010.

Por que o governo tomou tal atitude? Simples havia uma grande quantidade de plugues no mercado. Sim, o Brasil adota a miscigenação e a diversidade até mesmo em suas tomadas. “Hoje em dia, nós temos de oito a 12 plugues diferentes no país. Isto é uma verdadeira bagunça”, explicou Gustavo Kuster, gerente de qualidade do Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro).

Para criar os padrões de tomadas e plugues, foram feitos estudos até fora do país. “Este formato não surgiu de uma idéia brasileira, nós aproveitamos a experiência internacional, principalmente na Europa”, afirmou Yaksic. Outros países da América do Sul já padronizaram plugues e tomadas, como Argentina, Chile e Uruguai.

Vale notar que a definição do padrão, que começou a ser feita ainda nos anos 90. Custou tempo e dinheiro dos contribuintes. O debate sobre o assunto ouviu consumidores, indústria, comércio e especialistas. Tudo isso para resultar em uma tomada incompatível com o restante da humanidade.

Sim, o novo padrão de tomadas é uma exclusividade brasileira. Em nenhum outro lugar do mundo se usa um plugue igual ao brasileiro. Se você comprar qualquer produto eletrônico em outro país irá precisar de um adaptador para usá-lo em uma tomada brasileira...

E tem mais. Atualmente no Brasil as cidades tem seu fornecimente de energia entre 220 ou 110 volts (em tempo: o padrão 220v é infinitamente melhor). Os plugues existentes refletem a escolha por um ou outro padrão. Ou seja, pino retangular é mais usado com a voltagem 110 e o pino redondo é preferido nas regiões nas quais predomina o fornecimento de eletricidade em 220 volt. Por isso, predomina nas casas brasileiras a chamada tomada "universal". Ela aceita tanto o pino redondo quanto o retangular. Mas ela foi rejeitada por questões de segurança...

A nova tomada prova uma verdade incontestável: o Brasil é incompatível com a humanidade. O nosso país simplesmente não está apto a conviver com o restante do mundo. Somos aquele parente recluso e afastado que você só sabe que está vivo por causa dos cartões de Natal...

Parece um exagero da ZeroZen? Lembra da época do videocassete? Pois existiam dois padrões utilizados pelo mundo o NTSC, utilizado pelos Estados Unidos, e o PAL, usado, por exemplo, pela Alemanha. O que o Brasil fez? Criou um padrão exclusivo, o PAL-M. Totalmente incompatível com o restante da humanidade...

E a loucura continua. Houve recentemente uma imensa discussão sobre o padrão da TV digital a ser adotado no Brasil. No final das contas era só escolher seguir o padrão americano ou Europeu. Mas não. O nosso país optou pelo obscuro padrão japonês. Não satisfeito com a escolha, o Brasil decidiu criar o seu próprio padrão de TV digital que é, ora vejam só, totalmente incompatível com o restante da humanidade...

Mais uma vez o Brasil mostra estar na vanguarda do atraso. Francamente, quem não consegue sequer criar uma tomada direito pode estar pensando em sediar as Olimpíadas? Apesar de que tirando futebol e vôlei o Brasil também é incompatível com o esporte...

Da Equipe de Articulistas