Mifune

mifune.jpg (18114 bytes)

Mifune é o terceiro filme filmado dentro das normas propostas no manifesto Dogma 95. Mas a julgar por esse filme o pessoal entregou os pontos. Na verdade eles nunca marcaram ponto algum. Afinal depois do azedo "Festa em Família" e do patético "Os Idiotas", é realmente um milagre que esses impostores dinamarqueses ainda insistam em usar as técnicas propostas nesse manifesto.

Mifune é um drama convencional, que lembra o cinema alemão dos anos 70, de gente chata como Fassbinder, Herzog e Wim Wenders. Pensando bem os personagens de Mifune poderiam pertencer a qualquer filme independente americano da atualidade: temos um deficiente mental, uma prostituta, até uma criança pentelha parece perto do final. E para completar mais alguns personagens bizarros sem nenhuma explicação aparente.

No fundo o que esse pessoal do Dogma 95 quer mesmo é participar do festival de Sundance e ganhar algum dinheiro em Hollywood. Como até agora os resultados do manifesto tem sido pífios, melhor voltarem para algum boteco de pé sujo da Dinamarca e planejarem um Dogma 98, ou Dogma 2000 Millenium. Talvez algum crítico americano desavisado ainda leve a sério manifestos de cineastas europeus. O resto da humanidade pode viver muito bem sem isso.

Saulo Gomes

P.S.: Toshiro Mifune que não tem nada a ver com isso e deve estar se revirando no caixão...

(Mifunes, Sidste Sang, Dinamarca/Suécia, 1999) Direção: Soren Kragh-Jacobsen. Elenco: Iben Hjejle, Anders W. Berthlsen, Jesper Sholt, Emil Tarding, Anders Hove. 101 min.

Voltar