ZeroZen Files

A verdade sobre o desaparecimento das abelhas

Antes de mais nada o atento Zeronauta pode estar se questionando: por que esta impoluta publicação digital resolveu perder seu tempo para investigar o desaparecimento das abelhas? Pois saiba que se nada for feito, poderemos ter um apocalipse ambiental. Sim, se você quer manter essa vida fácil e nababesca, cheia de melzinho na chupeta, é melhor começar a ler este ZZ-files.

Quem primeiro notou o desaparecimento das abelhas foram os apicultores americanos. Milhões de abelhas simplesmente sumiram nos últimos meses. Este é um grave problema que ameaça a produção nacional de mel. Mais ainda inúmeras colheitas que dependem do papel-chave destes insetos na polinização.

Não se lembra mais das aulas de biologia? A ZeroZen explica. Em termos ambientais, as abelhas são importantes polinizadores naturais. Ou seja, ao levar o pólen de uma flor a outra, elas induzem a formação de frutos e sementes. Portanto, são protagonistas importantes na reprodução das plantas.

Vale notar que entre 30 e 60% das abelhas sumiram na Califórnia (oeste) e mais de 70% em algumas regiões da costa leste e no Texas (sul). A situação foi observada em 24 Estados americanos e duas Províncias canadenses, segundo estimativas do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos).

Segundo a USDA, atualmente há 2,4 milhões de colméias no país, 25% a menos que em 1980. Ao mesmo tempo que o número de apicultores profissionais caiu à metade no país. A magnitude deste desaparecimento em massa de abelhas, considerado sem precedentes, levou a associação apícola americana a exigir a ajuda do Congresso dos Estados Unidos.

Parece que os congressistas dos EUA não tem nada melhor para fazer? Errado. As abelhas domésticas são essenciais para a polinização de mais de 90 tipos de frutas e legumes, cujas colheitas estão avaliadas em 15 bilhões de dólares por ano, 6 bilhões apenas na Califórnia.

De acordo com Diana Cox-Foster, professora de entomologia da Universidade da Pensilvânia, o problema de despovoamento em massa das colméias, foi batizado de "desordem de colapso de colônias". Ele apresenta sintomas únicos, diferentes dos observados quando acontecem as frequentes infecções do parasita Varroa jacobsoni, que destrói as larvas.

No caso desta desordem, as colônias saudáveis de abelhas domésticas diminuem repentinamente, deixando poucas ou nenhuma abelha no local. Curiosamente, durante a crise não foram encontradas abelhas mortas no interior das colônias ou suas proximidades. Os cientistas que investigam o caso chegaram a mencionar a hipótese de existência de um novo patógeno ou um produto químico que afetasse o sistema imunológico das abelhas.

Outra teoria conhecida, publicada no jornal britânico "The Independent", dizia que os celulares poderiam estar causando a DCC. O estudo relatava que os pesquisadores estavam estudando a energia eletromagnética emitida pelas bases dos telefones sem fio, por meio da implantação delas diretamente nas colméias. Um telefone sem fio usa um comprimento de onda de energia eletromagnética diferente da que o celular usa. Mas essa teoria acabou descartada.

Então o que causou o desaparecimento das abelhas? É simples, caro Zeronauta. A resposta está na frente de todo mundo. Mais precisamente na Copa do Mundo da África do Sul. Quem causou toda essa destruição que ameaça levar o planeta ao apocalipse foram as vuvuzelas...

Antes que o aparvalhado Zeronauta peça que a Fifa instaure a lei do silêncio nos estádios é necessário explicar o que aconteceu. Basta analisar as pistas para perceber o óbvio. A pressão sonora de uma vuvuzelada chega a 109 decibéis e a frequência do ruído chega a 4.000 hertz. Insuportável para o ouvido humano, mas extremamente atrativo para as abelhas. É fácil perceber como o barulho desta irritante corneta se parece demais com um enxame de abelhas.

Com certeza, o desaparecimento das abelhas na América do Norte foi causado pelas vuvuzelas, Aliás, talvez fosse possível traçar o início do desaparecimento justamente quando da realização da Copa das Confederações onde essa desgraça surgiu. O som das vuvuzelas seria uma espécie de chamado de acasalamento que atrairia as abelhas até a África do Sul.

As abelhas, diga-se de passagem tem uma audição inacreditável, porém não possuem uma autonomia de voo tão grande assim. Logo, enxames e mais enxames acabariam se perdendo no meio do caminho ou morrendo no oceano. E é justamente por isso elas não são encontradas!

Fofox Murder

A verdade está lá fora pedindo para os vizinhos respeitarem o horário de silêncio...

Considerações finais:
1 - Estima-se que 73% das espécies vegetais no mundo sejam polinizadas por alguma espécie de abelha. E você ainda acha que não há motivo para pânico?

2 - Para o biólogo norte-americano Edward O. Wilson o desaparecimento das abelhas pode ser considerado o "Katrina" da entomologia - fazendo uma referência ao furacão que matou pelo menos 1,8 mil pessoas nos EUA.

3 - O sumiço das abelhas também começa a ser motivo de preocupação no Brasil. O fenômeno é observado em colméias do Sudeste e do Centro-Oeste.

4 - Fica o apelo: parem com as vuvuzelas antes que seja tarde demais. (Depois não digam que a ZeroZen não avisou...)

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina