A verdade sobre os refrigerantes de 2 litros

O incauto internauta, leitor desta impoluta revista, já deve ter ido ao supermercado pelo menos uma vez na vida, a não ser que seja um parasita vivendo ainda as custas dos pais, o que também não seria muito incomum. De qualquer forma, o incauto leitor dessa revista com certeza já deve ter passado na seção de bebidas e reparado nem que seja de soslaio, já que a maioria dos leitores dessa revistas são alcoólatras potenciais, no preço dos refrigerantes ali expostos. E num breve resquício de sobriedade talvez tenha percebido que o refrigerante de 2 litros é mais barato que o de 600 ml. O que convenhamos, mesmo para uma mente obnubilada pela falta de álcool, não faz sentido algum. That´s Doesn't make any sense at all.

Se a fissura deixar você possivelmente vai tentar estabelecer razões para tal fato ocorrer. Afinal a cerveja de 450 ml não é mais barata que a de 350 ml, logo não existe razão lógica para um refrigerante de 2 litros custar mais caro que o de 600 ml. E não, a razão para isso, não é uma conspiração Católico-Cristã em benefício da família, ou puni-lo pelo fato de você ser um loser, que não conseguiu ninguém na vida para repartir um patético refrigerante de 2 litros. Refrigerante que você sendo um solteiro com problemas com álcool não vai conseguir beber, a não ser misturado com algum tipo de beberagem, e vai apodrecer em sua geladeira. Não. Na verdade trata-se de uma das conspirações mais ardilosas já arquitetadas pelo governo americano. Sim o governo americano. Quem mais?

A verdade é uma só: vivemos num planeta de recursos naturais limitados. Pesquisas recentes do governo americano apontam que já na metade desde século poderemos enfrentar uma grave escassez de alimentos em todo o mundo. Agora você deve estar pensando e que diabos o refrigerante de 2 litros tem a ver com isso? Simples o terceiro mundo está passando por um período de engorda, a base de fast food e refrigerantes, supervisionado pelos Estados Unidos, para quando começar a faltar alimento no mundo ser usado como ração. Isso mesmo, ração, você ouviu direito.

Não tenha dúvida incauto internauta que na hora do aperto americanos gordos farão qualquer coisa para saciar a fome, até mesmo aderir ao canibalismo, desde que esteja frito e de preferência entre duas fatias de pão. Além disso, convenhamos, para quem já está acostumado com hambúrguer de minhoca carne de nordestino é lucro. Não por acaso a USAID, Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional, já ofereceu ajuda ao programa Fome Zero do governo Lula. A intenção é óbvia e não menos maligna. Nunca duvide da capacidade do governo americano de invadir países, sem o menor motivo, a não ser o benefício próprio.

Estamos vivendo um versão bizarra do clássico de ficção científica Soylent Green (chamado no Brasil de No Mundo de 2020, apesar no filme se passar em 2022) dirigido por Richard Fleischer e estrelado Charlton Heston. E assim como o personagem de Charlton Heston no filme ao descobrir o ingrediente especial na receita do soylent green, resta a ZeroZen alertar:

SOYLENT GREEN IS PEOPLE! THIRD WORLD PEOPLE!!!

Fofox Murder

A verdade está lá fora rasgando o título de eleitor.

Considerações Finais:

1- O Brasil ocupa o sexto lugar no raking dos países com maior número de obesos; cerca de 70 milhões de brasileiros, o equivalente a 40% da população, estão acima do peso. Já nos Estados Unidos estima-se que o número esteja na casa dos 141 milhões de obesos, sete entre dez adultos, e contando.

2 - 17,5 milhões de brasileiros, ou 10% da população são obesos - ou seja, têm 45 quilos ou mais além do peso ideal.

3 - Nas últimas três décadas, o índice de sobrepeso e obesidade entre crianças e adolescentes brasileiros passou de 4% para 14%. Graças ao aumento do consumo de fast food e outras porcarias.

O texto acima é uma obra de ficção e qualquer coincidência com pessoas ou terceiros é meramente acidental ou usada como forma de paródia.